Professor diz que armar a Guarda ampliará risco

O sociólogo César Barreira, do Laboratório de Estudos da Violência (LEV-UFC), também discorda dos que acreditam que armar a Guarda seja uma boa alternativa. Ele afirma que isso pode causar efeitos colaterais indesejados e piorar os índices de violência. “Temos que evitar a circulação de armas de fogo, não aumentá-la. Há probabilidade maior de assaltarem a Guarda para roubar as armas. A violência contra policiais está relacionada a isso também”, aponta o professor.

César sugere que haja melhor treinamento, qualificação e remuneração dos guardas que já estão no sistema, outra proposta comum entre os candidatos. Ele também aprova propostas para implementar políticas públicas de qualidade. Por exemplo, aumentar pontos de iluminação em ruas escuras. “Serviços urbanos melhores diminuem a violência. As pessoas não vão roubar e assaltar em locais mais iluminados. Também é preciso ter facilidade de escoamento, para onde correr, como a viatura da polícia chegar. Isso tudo afeta na violência. Isso é muito mais eficiente do que ampliar simplesmente o contingente policial”, defende.

 

As propostas de instalação de sistema de monitoramento por vídeo copiam um pouco do que já é feito pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). César explica que, apesar de não ser má ideia, o custo-benefício da instalação não compensa. Argumenta que apostar em treinamento de inteligência pode dar resultados melhores, como mapear pontos críticos.

 

“Câmera é um equipamento muito caro. O custo de manutenção também é alto. E os exemplos que temos no mundo é que às vezes não são eficientes. Na Inglaterra, só 35% das câmeras interferem na elucidação dos crimes. Provavelmente poderiam encontrar alternativas melhores”, afirma.

Link para a matério O POVO: http://www.opovo.com.br/app/opovo/politica/2016/09/10/noticiasjornalpolitica,3657829/professor-diz-que-armar-a-guarda-ampliara-risco.shtml

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta